quarta-feira, 4 de maio de 2016

Rascunho Caos



































Ferdi e Briatore.

Carne e unha.

Os testes dos novos compostos da Pirelli  para 2017 já começaram.

Vergne andou em Fiorano com o carro de 2014 utilizando um dos protótipos da
borracha.

Faz parte da primeira fase.

Neste período, Mercedes, Renault e Red Bull também participarão.

McLaren ficará de fora por enquanto.

Seu conjunto de 2014 (quando ainda usava motor Mercedes) não existe mais.

Nas etapas seguintes (com carros mais novos) o time de Woking entrará no processo.

Assim como aconteceu com Lewis Hamilton em Sochi, a Ferrari também irá trocar
a caixa de câmbio de Sebastian Vettel para a Espanha.

Mesma situação prevista no regulamento.

Ou seja, sem penalização.

Aliás, houve uma operação de guerra para recuperar o bólido de Hamilton a tempo
para a corrida na Rússia.

Um voo fretado trouxe as peças essenciais para que tudo desse certo.

Vale ressaltar que a coisa toda teria sido impossível sem o dedo de Bernie Ecclestone
junto as autoridades locais.

Entretanto após a corrida Toto Wolff revelou que por muito pouco seus pilotos não
cruzaram a linha de chegada em Sochi.

Problemas diferentes.

Isso me faz refletir sobre as teorias de conspiração do time contra o atual campeão.

Isso não existe.

Ou estamos olhando para a teoria errada.

Melhor seria comtemplarmos a Teoria do Caos.

O caos pode ser definido como um processo complexo ( um bólido da Fórmula 1 ) no
qual tudo está tecido junto ( 80.000 peças!!). Ele é caracterizado pela imprevisibilidade
de comportamento e pela grande sensibilidade a pequenas variações nas condições
iniciais de um sistema dinâmico.

Imprevisibilidade.

Na verdade acho um milagre, levando em conta ainda o fator humano, tudo funcionar
tão certinho ( a 300 km/h ) na maioria das vezes.












































Interessante notarmos o quanto algumas escuderias aumentaram suas performances
quando comparamos a atual temporada com a passada.

A McLaren melhorou pouco mais de dois segundos.

Já a Manor, com a unidade de força da Mercedes, algo em torno de quatro segundos.

A Ferrari deixou seu conjunto quase dois segundos mais rápido.

O problema é que a Mercedes também.

Por isso não vemos uma aproximação maior entre as rivais.

E o domínio prevalece.

Renault decepciona até aqui com os mesmos números de 2015.

Ainda sobre isso, os franceses já sinalizam a renovação da parceria com a
Red Bull.

A Sauber não vai participar dos testes após o GP de Barcelona.

Razões?

Não possui um piloto novato em suas fileiras e também não tem nada para
experimentar.

Por fim.

Estão confirmando por aí algumas informações dadas pelo Blog algum tempo atrás.

Que Jenson Button quase se juntou a Williams.

Clique aqui para ver o post de julho de 2015.

Que a opção para o lugar de Raikkonen é Grosjean.

Publicado neste espaço (olhe aqui) em agosto do ano passado antes do francês
ir para a Haas.

 E que Max Verstappen estará na Red Bull em 2017.

Bem aqui

Digo agora que o anúncio da mudança do jovem piloto holandês se dará em
Spa-Francorchamps.

Daniil Kvyat está frito.

Nem seu pódio obtido na China ajuda.

O problema do piloto é de relacionamento com a direção do time dos energéticos.

E isso não vem de agora.

Logo após a etapa russa (e dos acidentes causados) alguns fizeram ironias com um
certo anúncio de relógio em que Kvyat aparece em destaque.

Consegue adivinhar quem curtiu?


terça-feira, 3 de maio de 2016

Império

























A Mercedes está em outra categoria.

Ela é a verdadeira Fórmula 1.

Se alguém ainda tiver alguma dúvida, pode olhar os números e comparar com
outras dominantes do passado.

Impressionante, não?




segunda-feira, 2 de maio de 2016

Survivor



Bom dia petrolheads!

A largada de Fernando Alonso em Sochi.

domingo, 1 de maio de 2016

Rascunho Glasnost



Durante a prova, a Red Bull disse a Daniel Ricciardo que a culpa do acidente
havia sido de Sebastian Vettel.

O australiano estranhou.

Pois sabia as posições que os carros estavam a pista.

No momento do safety car, o piloto principal do time dos energéticos viu
em um dos telões que tudo havia sido causado por seu companheiro.

Depois da bandeirada final, Christian Horner resumiu sua frustração numa
frase.

"Ele ferrou nossa corrida."

Kvyat pediu desculpas a todos (telefonou para Vettel) e disse que essas
coisas acontecem.

Está se fritando.

Verstappen sorri.

Esteban Ocon estará nos treinos livre de Barcelona pela Renault.

Jolyon Palmer cederá o lugar.

Fritando também.

Pois Sergey Sirotkin está chegando na mesa de negociação dos franceses
com muito dinheiro.

O apoio da instituição financeira russa SMP para Sirotkin, avalizado pela
Genii Capital é fortíssimo.

Lembrando que a Genii Capital, após vender o controle da Lotus, ainda
manteve 10 % da nova Renault para si.

Outra.

A Renault procura um líder para a equipe.

Falou-se em Fernando Alonso, lembra?

Mas neste momento a turma de Viry Chatillon monitora principalmente os
movimentos entre Nico Rosberg e a Mercedes.

Rosberg que não está apenas com jeito, já possui números de campeão.

Estão sabotando Lewis?

"Bullshit!"

Lauda, Niki.

Por obrigação, Raikkonen deveria ter largado na primeira fila.

Isso conta.

Pontos.

Grosjean de novo e Alonso, o novo.

Stoffel Vandoorne no exílio japonês.

Enquanto isso Jenson Button declara abertamente que quer estar na McLaren
em 2017 para utilizar o novo motor Honda.

Por fim.

Os números.


























Massa terminou o GP da Rússia com excelentes números nos setores.

Nico (o da Mercedes) foi absoluto.

Ruim a velocidade máxima de Hamilton, não?

Perez e Magnussen.

O que eu reparei.

Vocês conseguirão notar mais coisas.

Como sempre.

Comentários abertos!

sábado, 30 de abril de 2016

Maugham


























Ensaio.

Mônaco.

Onde os destinos da Fórmula 1 são selados nos bastidores.

"Um lugar ensolarado para pessoas sombrias."

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Halo 2

























Bom dia petrolheads!

Olhando a solução apresentada pela Red Bull para proteger os pilotos, me lembrei
disso aí.

1975.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Rascunho Figurativo
























Já podemos contemplar as mudanças em Baku.

Vale lembrar que se for necessário preservar o piso original, antes se aplica uma
película plástica para facilitar a remoção da camada asfáltica após a corrida.

Na Renault, Kevin Magnussen admite a necessidade de derrotar Jolyon Palmer.

O jovem piloto dinamarquês sabe que sua permanência na escuderia está ameaçada.

Por isso ele precisa esmagar seu companheiro e impressionar os cabeças do time
francês.

Mas ninguém vai facilitar.

Tanto que Magnussen cederá seu carro para Sergey Sirotkin andar no primeiro
treino livre em Sochi.

Olhando o site da FIA podemos entender um pouco as mudanças para 2017.

A parte aerodinâmica (carros, asas e pneus mais largos) está decidida.

Nos outros pontos, apenas dois ainda estão pendentes.

Na forma, não no conceito.

Unidades de força mais baratas (qual valor?) e a garantia de fornecimento de
motores pelas fabricantes.

Figuras.

Flavio Briatore colocou o dedo em Monza.

Alejandro Agag (Fórmula E) sorri com o sucesso da categoria elétrica em Paris.

Lembrando que este empresário espanhol possui laços estreitos com Briatore e
Bernie Ecclestone.

Foram sócios em concessões de TV da Fórmula 1 e na empreitada futebolística
inglesa Queens Park Rangers.

Agag também tem um braço na GP2 e na sua unha passaram nomes como Vitaly
Petrov, Romain Grosjean e Lucas di Grassi...

Viktor Kharitonin se tornou o dono solitário de Nurburgring.

Sócio de Roman Abramovich (Chelsea) em diversos negócios, o bilionário russo
comprou as partes de direito que ainda estavam nas mãos de outros investidores.

John Booth se mudou para a Toro Rosso.

O ex-Manor vai tentar colocar ordem em Faenza.

Por fim.

O Tordo diz que a ideia na Scuderia Italiana, por enquanto, ainda é manter
Raikkonen mais um ano.

Grosjean permanece como a primeira opção para o lugar de Kimi.














Coluna Social





























Bom dia petrolheads!

Festa de aniversário de Felipe Massa.

35 anos.

Reparando nos convidados.

Pilotos.

Daniel Ricciardo, Augusto Farfus, Esteban Gutierrez e Bruno Senna.

Numa das pontas da imagem aparece Maldonado.

Na outra, Ncolas Todt, o empresário de Massa e Pastor.

Faltou o Bottas, ou não?

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Notinhas de Segunda

























Imagem de Valtteri Bottas.

O piloto finlandês declarou seu desejo de estar na Mercedes em 2017.

Com sua carreira sendo gerenciada por Toto Wollf, por que não?

Porque não.

O jornal espanhol Marca também falou da Mercedes.

Só que sobre uma possível movimentação de Fernando Alonso para as flechas
de prata.

E ainda que a McLaren estaria atrapalhando a tal transferência.

Leu as entrelinhas?

Eu ajudo.

Ninguém está contando com a renovação de Nico Rosberg.

Interessante, não?

Já Romain Grosjean abriu seu coração outra vez.

"Sonho com a Ferrari desde eu tinha 8 anos!"

Salários 2016 (em dólar / ano).

Vettel segue sendo o mais bem pago (50 milhões), seguido por Ferdi (40 milhões)
e Hamilton (30 milhões).

A casta dos campeões segue na ordem.

Raikkonen (28 milhões) e Button (13 Milhões).

Nico Rosberg (15 milhões) invadiu o clube dos ricos mesmo sem ter um título.

Depois temos a segunda divisão.

Massa, Hulkenberg, Grosjean e Ricciardo (todos com ganhos em torno de 5 milhões).

O grupo restante é formado pelos pagantes.

Que ajudam no orçamento das escuderias e recebem uma pequena volta.

A exceção são os pilotos da Toro Rosso.

Eles não são pagantes e nem trazem patrocinadores.

Por fim.

Fiquei debruçado todo o final de semana sobre os números da corrida de Mônaco.

O duelo entre o rebento de Felipe Massa e Daniel Ricciardo
foi revelador.

Aproveitando a melhor adaptação aerodinâmica de seu carro, Felipinho largou melhor.

Manteve Ricciardo a uma boa distância e no último stint apenas conservou seu equipamento até a linha de chegada.

Após a derrota o piloto da Red Bull me pareceu desmotivado.

Não sabemos que efeito isso terá em sua carreira.

Preocupante?

Aguardemos.

90



















































Bom dia petrolheads!

Ayrton Senna.